Em uma operação que mobilizou a Defesa Civil, a Secretaria do Meio Ambiente e o Zoológico Municipal, mais uma raposa do campo foi resgatada em Nova Odessa, desta vez num condomínio residencial. Além das equipes municipais, a ação também teve apoio do GRAR (Grupo de Resgate em Áreas Remotas). Em 2021, mais de 40 animais silvestres já foram resgatados na cidade, e esta é a terceira captura da mesma espécie realizada em apenas um mês.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil Municipal, Vanderlei Wilians Vanag, para a operação, que aconteceu na última semana, foi necessária a disponibilização de duas armadilhas em pontos próximos ao local onde o animal adentrou o residencial. O uso da armadilha não letal teve sucesso.

“Depois de resgatada, a raposa do campo passou por uma avaliação clínica feita pela veterinária do município, Paula Faciulli, e pela diretora municipal do Meio Ambiente, a bióloga e zoóloga Daniela Fávaro. Tendo então sido considerada saudável, ela foi microchipada e solta em uma área reflorestada, que oferece condições seguras de sobrevivência”, informou. O novo “endereço” da raposinha não foi divulgado, para protegê-la.

Segundo a diretora municipal do Meio Ambiente, o aparecimento frequente de animais nativos em Nova Odessa se deve à grande expansão imobiliária que se iniciou na cidade há pelo menos 10 anos, em áreas onde, anteriormente, havia mata e culturas diversas, como de cana-de-açúcar, soja, amendoim e milho.

“Foi uma progressão muito rápida de loteamentos, o que acabou ocasionando a perda do habitat desses bichos. Agora, eles não têm mais onde se abrigar ou se alimentar, sem contar que seus predadores também estão desaparecendo”, explicou a diretora.

Ela também alertou que este tipo de ocorrência deve se repetir principalmente nos condomínios, que são obrigados a manter um espaço de área verde. “Não só raposas do mato, mas também gambás, cachorros do mato, porcos da índia, tapitis, lebres, cobras e todos os animais que viviam nas matas precisam buscar outros locais para sobreviver, e muitas vezes acabam encontrando nas áreas verdes dos condomínios condições melhores de abrigo do que nas vias públicas da área urbana, onde há trânsito e barulho excessivo. Eles entram pela saída de água de chuva e canalizações, abertura ou pequenos vãos em grades, telas e alambrados”, complementou Daniela.

Além das três raposas do campo, as equipes da Prefeitura de Nova Odessa e os bombeiros voluntários já salvaram, em 2021, três capivaras, quatro cobras, um papagaio, dois gaviões carcará, quatro lagartos teiús, três urubus, oito gambás, seis maritacas, dois tatus, dois preás e três bem-te-vis. Todos foram reinseridos em seu habitat natural, em áreas de proteção da cidade e da região. O total não leva em conta os resgates de animais domésticos nem de grande porte (como cavalos, mulas e bovinos).

No começo de junho deste ano, o vídeo da captura, avaliação e soltura de um cachorro do mato silvestre e saudável pelas equipes da Prefeitura de Nova Odessa “viralizou” . Até a última segunda-feira (12/07), o vídeo já tinha mais de 110,6 mil visualizações. Em novo vídeo, sobre a captura e soltura da raposa do campo, já está online em https://www.facebook.com/PrefeituradeNovaOdessa/videos/.

Espalhe por aí:
https://www.portalagenda7.com.br/wp-content/uploads/2021/07/Equipes-da-PMNO-resgatam-raposa-do-campo-em-condominio-residencial-julho-2021-768x1024.jpeghttps://www.portalagenda7.com.br/wp-content/uploads/2021/07/Equipes-da-PMNO-resgatam-raposa-do-campo-em-condominio-residencial-julho-2021-150x150.jpegRedação Agenda 7DestaquesRegiãoEm uma operação que mobilizou a Defesa Civil, a Secretaria do Meio Ambiente e o Zoológico Municipal, mais uma raposa do campo foi resgatada em Nova Odessa, desta vez num condomínio residencial. Além das equipes municipais, a ação também teve apoio do GRAR (Grupo de Resgate em Áreas Remotas)....Portal de notícias de Sumaré e Região de Campinas-SP