A Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo gerenciado pela Poiesis, aumentou nesta terça-feira, 17, a capacidade de público e ampliou horário de visitação.  A rede é composta pelos museus Casa das Rosas, Casa Guilherme de Almeida e Casa Mário de Andrade.

Os dias de visitação voltam a ser aqueles do funcionamento dos museus antes da pandemia, de terça a domingo, das 10h às 18h. O número de visitantes varia por unidade: a Casa das Rosas receberá até 15 visitantes por hora, a Casa Guilherme de Almeida permitirá até 5 visitantes por hora e a Casa Mário de Andrade estabelece o limite de 6 visitantes por hora. Confira a programação:

Casa das Rosas

Até o dia 29 de agosto, o público que visitar a Casa das Rosas encontrará a exposição Coestelário. A mostra é uma homenagem às vidas abreviadas pela pandemia em 2020. Por meio de “lápides” de poesia visual, ao modo das antigas estelas funerárias, que davam voz e imagem à pessoa querida que partiu, a mostra apresenta 70 estelas, em que o epigrama funerário se funde à imagem, num jogo de constelações.

A exposição, que conta com o apoio Companhia das Letras e da Artmosphère, reúne 70 poemas visuais criados pelo poeta Guilherme Gontijo Flores em parceria com o ilustrador Daniel Kondo. Aldir Blanc, Moraes Moreira, Olga Savary, Zuza Homem de Melo, Quino, Chica Xavier, Maria Alice Vergueiro e Aritana Yawalpit são alguns dos homenageados da exposição.

Os visitantes ainda poderão apreciar a exposição de longa duração “Estrutura explodida – vidobra de Haroldo de Campos” e conhecer ou rever o belo imóvel do museu, da década de 1930, quando o casarão no estilo clássico francês foi projetado pelo arquiteto Ramos de Azevedo, onde seus herdeiros viveram até os anos 1980.

Casa Guilherme de Almeida

Quem visitar a Casa Guilherme de Almeida encontrará os móveis, objetos, livros e obras de arte que pertenceram ao patrono do museu, poeta, tradutor e jornalista Guilherme de Almeida, e à sua esposa Baby de Almeida, além de uma exposição temporária de livros raros de autores modernistas, como Pauliceia desvairada, de Mário de Andrade, e Pau Brasil, de Oswald de Andrade.

Casa Mário de Andrade

A exposição de longa duração “Morada do Coração Perdido” , na Casa Mário de Andrade, traz a trajetória multifacetada do escritor, músico, pesquisador e gestor cultural Mário de Andrade, as curiosidades da residência onde o modernista e seus familiares viveram entre as décadas de 1920 e 1940, além de como o imóvel, que completou 100 anos em 2020, se tornou instituição museológica.

Os visitantes também poderão conhecer a exposição temporária “Fantoches da meia-noite – A modernidade que sai das sombras”. A mostra focaliza uma das criações mais representativas do processo de instauração do movimento modernista no Brasil: o raríssimo álbum de gravuras Fantoches da meia-noite, de Di Cavalcanti, publicado em 1921 pela Editora Monteiro Lobato e Cia.

Estarão expostas as 16 pranchas que integram o exemplar do acervo da Casa Guilherme de Almeida, colorido à mão por seu autor. Trata-se, portanto, de exemplar único, que pertenceu ao amigo e companheiro de Di Cavalcanti no movimento modernista, Guilherme de Almeida.

As imagens que compõem a obra Fantoches da meia-noite são crônicas visuais da vida noturna carioca, um álbum de retratos da “Alma encantadora das ruas”, assim como os textos de João do Rio. Inspirado na exposição “Fantoches da Meia-Noite – A modernidade que sai das sombras” e nas crônicas de João do Rio, o educativo da Casa Mário de Andrade irá explorar esses personagens que circulavam nas sombras da sociedade burguesa do início do século XX em uma visita temática. A atividade acontecerá no dia 4 de setembro, sábado, às 14h. Inscreva-se no site do museu até 3 de setembro.

SERVIÇO:
Os três museus funcionarão de terça a domingo, das 10h às 18h;
Visitas apenas por agendamento via site de cada museu.

Casa das Rosas

Exposição
Coestelário
Artistas: Guilherme Gontijo Flores e Daniel Kondo
Curadoria: Luiz Gustavo Carvalho
Em exibição até o dia 29 de agosto
Classificação indicativa: livre

Exposição
Estrutura explodida – vidobra de Haroldo de Campos
Longa duração
Classificação indicativa: livre

Casa Guilherme de Almeida
Exposição
Acervo de Guilherme de Almeida e Baby de Almeida
Longa duração
Classificação indicativa: livre

Casa Mário de Andrade

Exposição
Morada do Coração Perdido
Curadoria: Carlos Augusto Calil
Longa duração
Classificação indicativa: livre

Exposição
Fantoches da meia-noite – A modernidade que sai das sombras
Agendamentos neste link
Classificação indicativa: livre

Visita temática
Fantoches da meia-noite: crônicas da rua
Com Arthur Major
Sábado, 4 de setembro, às 14h
Link de inscrição: https://www.casamariodeandrade.org.br/
Classificação indicativa: livre

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura
Telefone: (11) 3285-6986 | 3288-9447 | E-mail: contato@casadasrosas.org.br
Avenida Paulista, 37 – Paraíso – São Paulo (próximo à estação Brigadeiro do metrô)
Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados)
Acessibilidade: rampa de acesso, elevador e videoguia em libras.
Entrada gratuita
Casa Guilherme de Almeida
Tel.: 11 3673-1883 | 3803-8525 | 3672-1391 | 3868-4128 | E-mail: contato@casaguilhermedealmeida.org.breducativo@casaguilhermedealmeida.org.br
Museu: R. Macapá, 187 – Perdizes | CEP 01251-080 | São Paulo | Anexo: Rua Cardoso de Almeida, 1943 – Sumaré, São Paulo/SP
Acessibilidade: rampa de acesso, elevador, piso podotátil e banheiro adaptado; videoguia em Libras e réplicas táteis.
Entrada gratuita
Casa Mário de Andrade
Rua Lopes Chaves, 546 – Barra Funda – São Paulo
Acessibilidade: rampa de acesso ao andar térreo e fraldário móvel.
Entrada gratuita
SOBRE A CASA DAS ROSAS
A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta paulistano Haroldo de Campos, um dos criadores do movimento da poesia concreta na década de 1950. Localizada em uma das avenidas mais importantes da cidade de São Paulo, a Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades gratuitas, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais. O museu está instalado em um imponente casarão, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo, que na época já tinha projetado e executado importantes edifícios na cidade, como a Pinacoteca do Estado, o Teatro Municipal e o Mercado Público de São Paulo.

SOBRE A CASA GUILHERME DE ALMEIDA
Inaugurada em 1979, a Casa Guilherme de Almeida, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, está instalada na residência onde viveu o poeta, tradutor, jornalista e advogado paulista Guilherme de Almeida (1890-1969), um dos mentores do movimento modernista brasileiro. Seu acervo é constituído por uma significativa coleção de obras, gravuras, desenhos, esculturas, pinturas, em grande parte oferecidas ao poeta pelos principais artistas do modernismo brasileiro, como Anita Malfatti, Tarsila do Amaral, Emiliano Di Cavalcanti, Lasar Segall e Victor Brecheret. Hoje, o museu oferece uma série de atividades gratuitas relacionadas a todas as áreas de atuação de Guilherme de Almeida, da literatura traduzida ao cinema, passando pelo jornalismo e pelo teatro. Trata-se da primeira instituição não acadêmica a manter um Centro de Estudos de Tradução Literária no país.

SOBRE A CASA MÁRIO DE ANDRADE
A Casa Mário de Andrade funciona no endereço da antiga casa do escritor Mário de Andrade, um dos principais mentores do modernismo brasileiro e da Semana de Arte Moderna de 1922. O museu abriga uma exposição permanente, que é aberta à visitação, com objetos pessoais do modernista, além de documentos de imagem e áudio relacionados à sua trajetória. O museu também realiza uma intensa programação de atividades culturais e educativas. A Casa integra a Rede de Museus-Casas Literários da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis.

SOBRE A POIESIS
A Poiesis – Organização Social de Cultura é uma organização social que desenvolve e gere programas e projetos, além de pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais, voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.
Espalhe por aí:
https://www.portalagenda7.com.br/wp-content/uploads/2021/08/unnamed-25-1024x640.jpghttps://www.portalagenda7.com.br/wp-content/uploads/2021/08/unnamed-25-150x150.jpgRedação Agenda 7Cultura e LazerDestaquesA Rede de Museus-Casas Literários de São Paulo, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo gerenciado pela Poiesis, aumentou nesta terça-feira, 17, a capacidade de público e ampliou horário de visitação.  A rede é composta pelos museus Casa das Rosas, Casa...Portal de notícias de Sumaré e Região de Campinas-SP