A água distribuída à população de Sumaré segue um rígido controle de qualidade para atender aos parâmetros exigidos pela legislação vigente. O trabalho é realizado pela BRK Ambiental, empresa responsável pelos serviços de saneamento do município. A empresa monitora, em tempo real, desde a captação nos mananciais (Rio Atibaia e represas Horto I, Horto II e Marcelo), passando pelo processo de tratamento até as redes de distribuição. Em média, são realizadas mais de 25 mil análises por mês da água produzida no município; o dobro da quantidade prevista pela legislação.

Além de todo o cuidado no processo de captação, tratamento e distribuição, a empresa conta com dispositivos instalados em redes e adutoras que auxiliam na garantia da qualidade e da potabilidade da água distribuída à população. Chamados de descargas, eles são utilizados após obras e manutenções, ação que foi intensificada desde a última semana devido às intervenções em andamento na Estação de Tratamento de Água II (ETA II).

“As descargas são pontos em redes e adutoras em que é possível expelir a água daquela determinada tubulação. A medida é importante para evitar que água em condições não adequadas para consumo chegue à população e ocorre, em geral, após a realização de alguma manutenção no sistema. A cidade conta com mais de 350 dispositivos semelhantes a esse, instalados em pontos estratégicos das tubulações”, explica Rafaella Lange, gerente de operações da BRK Ambiental em Sumaré.

Além de usados após manutenções, os dispositivos também são acionados após paradas no abastecimento, o que faz com que uma determinada tubulação seque. No momento da retomada do abastecimento, partículas presentes nas redes podem se soltar e causar, por exemplo, alteração na coloração na água. Para evitar que isso ocorra, a concessionária faz uso das descargas.

Dispositivos são classificados em dois tipos:

  1. Descargas Preventivas: são as localizadas em pontas de rede em que não existe circulação de água, em que se faz-se necessário, portanto, executar esta manobra e/ou em pontos com menor declividade nos bairros, principalmente em regiões em que as tubulações são de ferro e fibrocimento. Isso é necessário porque esses materiais são antigos, o que pode ocasionar a incrustação de partículas que, em momentos de variação do volume da água que passa pela tubulação, desprendem-se e podem gerar alteração na coloração da água. Elas são realizadas diariamente, geralmente durante o período noturno.
  2. Descargas Corretivas: são realizadas sempre após reparos ou paralisações no sistema de distribuição de água para evitar que as partículas que se desprendem das redes reparadas ou que secaram em decorrência de interrupção no abastecimento cheguem aos imóveis.

Serviço intensificado desde a última semana

Por conta das obras na ETA II, estação de tratamento de água no Parque Itália, a vazão da estação foi reduzida e, por isso, o abastecimento está ocorrendo de forma escalonada em cinco regiões da cidade desde o dia 09/08. No momento da retomada do abastecimento, partículas presentes nas redes podem se soltar e causar, por exemplo, alteração na coloração na água. Para evitar que isso ocorra, a concessionária tem realizado as descargas corretivas em diversos pontos da cidade.

“A medida é importante para evitar que a água em condições não adequadas para consumo seja distribuída à população. É mais uma medida adotada pela empresa para garantir a qualidade do recurso”, ressalta Rafaella.

Neste ano, já foram instaladas 50 novas descargas e a previsão é que, até o final deste ano, mais 15 passem a fazer parte do sistema de distribuição de água do município.

Para escolher estes novos pontos para colocação dos dispositivos, a concessionária considera locais que já apresentaram alguma alteração relativa à qualidade da água, principalmente, com relação ao parâmetro cor.

“Entre os fatores avaliados para a escolha dos pontos das novas descargas estão o tipo de material da rede, há quanto tempo existe a instalação, se é uma ponta de rede ou não, se existe a possibilidade de interligação das pontas de rede (para circulação da água), entre outros. Além disso, geralmente, são locais estratégicos porque já apresentaram ou podem vir a apresentar alguma alteração relativa a parâmetros de acompanhamento da qualidade da água”, explica a gerente.

Vale ressaltar que, em casos de alterações pontuais desses parâmetros, a empresa também realiza a descarga nos cavaletes dos imóveis e não faz nenhuma cobrança referente a esta água, uma vez que a ação ocorre antes dos hidrômetros.

Todas as descargas são mapeadas e a concessionária tem o controle do volume e do tempo de cada uma delas. “As descargas realizadas pela BRK Ambiental são devidamente sinalizadas com cavaletes a fim de informar a população sobre o serviço que está sendo realizado no local”, complementa a gerente.

Além disso, em caso dúvidas ou informações sobre a qualidade da água recebida nos imóveis os clientes podem solicitar o envio do Laboratório Móvel, uma unidade de atendimento itinerante que realiza a análise da água direto dos imóveis dos clientes. O serviço é gratuito e pode ser acionado pelo 0800-7710001.

Espalhe por aí:
https://www.portalagenda7.com.br/wp-content/uploads/2021/08/BRK_Sumare-descarga-monitorada-1024x783.jpghttps://www.portalagenda7.com.br/wp-content/uploads/2021/08/BRK_Sumare-descarga-monitorada-150x150.jpgRedação Agenda 7DestaquesSumaréA água distribuída à população de Sumaré segue um rígido controle de qualidade para atender aos parâmetros exigidos pela legislação vigente. O trabalho é realizado pela BRK Ambiental, empresa responsável pelos serviços de saneamento do município. A empresa monitora, em tempo real, desde a captação nos mananciais (Rio Atibaia e represas...Notícias de Sumaré e Região de Campinas-SP